Treino e dor muscular



Todos os atletas e praticantes de atividades físicas, em qualquer nível, sabem que a dor muscular faz parte da rotina de treinos. Os episódios de dor tardia – aquela que se caracteriza por surgir algumas horas depois da atividade – são comuns e podem permanecer por até uma semana. Ela surge principalmente por um padrão de movimentos diferente do habitual ou pelo aumento da carga e intensidade do treino.
A dor tardia acontece enquanto o corpo se recupera do trauma muscular sofrido, contudo existem outras formas de dor que não são aceitáveis e merecem uma atenção especial. O atleta precisa aprender a distinguir as dores passageiras e normais causadas pelo esforço do treino e as dores que podem ser perigosas, que indicam uma lesão. Para isso, é essencial aprender a ouvir seu corpo.
dor e as lesões trazem níveis diferentes de desconforto. O desconforto sentido durante o treino ou a dor leve e simétrica, não devem preocupar, em geral elas são sinal de que o treino está progredindo. Após exercícios de alta intensidade, também pode surgir uma dor na região alvo do treino. A recuperação dessas dores acontece normalmente e a atividade física moderada pode ajudar, principalmente a atividade aeróbica que faz o coração trabalhar mais rápido e ajuda a eliminar os resíduos, assim como o alongamento suave, que também acelera o processo de recuperação.
Qualquer dor é importante e merece atenção, contudo as dores súbitas e agudas exigem um cuidado extra, especialmente se forem fortes ou forem acompanhadas de inchaço, sangramento ou perda do movimento da articulação. Vale salientar que o fato de não sentir nada no dia seguinte não significa nada. Da mesma forma,  o fato de a dor e os sintomas diminuírem durante o treino, por exemplo, é comum, graças a ação da endorfina, o que pode mascarar algum problema mais sério, especialmente se for uma lesão recorrente.
Por isso, se a dor persistir, e vier acompanhada de fraqueza e desconforto, é importante procurar um médico, evitando agravar ainda mais o problema. O atleta precisa aprender a escutar seu corpo, só assim vai identificar a dor normal dos treinos e a dor que serve como alerta de que alguma coisa está errada.
Fonte: Hipertrofia



1

1 comentários:

Lourdes silva rosa disse...

GOSTEI DO ASSUNTO MUITO BOM

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...